Associe-se
Contato

Textos


Interpretação do Meteograma
 
Interpretação do Meteograma
 
 
O meteograma é um gráfico que podemos encontrar em alguns sites meteorológicos como no CPTEC em http://previsaonumerica.cptec.inpe.br/golMapWeb/meteo/showimage.jsp, por exemplo.



 
Trata-se de uma previsão do tempo que contém várias informações sobre os próximos 3 a 5 dias, dependendo da versão.
 
Uma vez que alguns pilotos encontram dificuldade em interpretar o que dizem os gráficos, aqui vão algumas dicas singelas, nada super-profissional para facilitar o entendimento.:
 
Fiz algumas linhas extras para ficar mais fácil visualizar os horários, uma vez que o meteograma está no horário GMT (Greenwich Meridian Time). Assim, a linha vertical vermelha mostra as 10 horas da manhã em São Paulo.
 
A primeira linha nos mostra a tabela de precipitação, ou seja, chuva. Repare que o eixo horizontal (Y) é sempre o de horários enquanto que neste caso o eixo vertical é o de milímetros de chuva por hora. Assim, no nosso caso podemos dizer que estão previstas chuvas a partir de cerca de 9 da manhã do dia 17, chegando a 3,5mm lá pelo meio dia.
 
Se olharmos para a última linha, (cloud cover) que indica a cobertura de nuvens, podemos ver que logo na manhã do dia 17 teremos nuvens baixas que podem ser estratos ou cúmulos (possivelmente as primeiras por ser muito cedo) enquanto que a precipitação já se associa à chegada de nuvens de média altitude, ou seja, muito provavelmente o céu já estratificando de forma generalizada até altitudes médias (cerca de 6000 metros). No dia seguinte temos então a chegada de nuvens altas e podemos dizer que existe uma possibilidade das chuvas virem com violência, pois as nuvens altas estão atrasadas em relação às baixas.
 
Isto tudo também acontece imediatamente após a queda de pressão barométrica que pode ser observada na coluna imediatamente acima. A queda de pressão denuncia a chegada de uma frente fria pois a massa que vem logo após é sempre um centro de alta pressão (ar frio vindo do sul).
 
Veja também que existe um movimento oscilatório da temperatura na segunda linha. Ou seja, temos o pico de calor lá pelas 2 ou 3 da tarde e as mínimas no final da manhã. Lembre-se que as variações de temperatura no decorrer do dia estão também associadas à maré barométrica, ou seja, além da queda de pressão generalizada devido à aproximação da frente, temos a flutuação da pressão em virtude da variação de temperatura durante o dia, ou seja: mais quente, menor pressão; mais frio, maior pressão.
 
Na quarta linha temos as informações quanto a ventos. A linha azul diz a intensidade do vento em metros por segundo (25km/h=7m/s). As flechinhas dizem a direção do vento e também a intensidade de acordo com o tamanho da linha.
 
Repare como o vento que está sudeste vira para noroeste na chegada da frente, afinal o centro de alta pressão vem girando no sentido horário devido à força de Coriolis. Assim, temos ventos noroeste. É interessante acompanhar isto olhando para o céu, que por vezes nos apresenta nuvens altas (cirrus) se movendo de noroeste antes mesmo do vento virar à nossa altitude. É a frente que vem vindo.
 
Finalmente temos a umidade relativa do ar que como é possível acompanhar, também tem uma maré que nos revela que quanto mais frio, mais úmido.

Fonte: Silvio Ambrosini - Sivuca - Data: 08/01/2011
 


  ABP - Associação Brasileira de Parapente - Copyright 2016 © Todos os direitos reservados. Runtime Sistemas