Associe-se
Contato

Textos


Concentração pelo silêncio: uma chave para o sucesso no voo livre.
 
Concentração pelo silêncio: uma chave para o sucesso no vôo livre.
 
Antes de decolar para uma prova em uma competição de parapente, ou antes de executar uma seqüência de acrobacias, tenho o costume de sentar-me na rampa e ficar um instante em silêncio, silêncio este que divido em duas partes:
 
A primeira parte é o ato de através de um contato com a própria mente, pré-visualizar com o máximo possível de detalhes, cada momento do vôo, desde a inflagem até o pouso (de preferência no gol). Estes momentos da prova ou das manobras devem ser "vistos" seqüencialmente e da forma mais organizada que for possível. Confesso que não é assim simples dirigir o pensamento desta maneira; me parece que existe um "outro alguém" dentro de nós mesmos querendo desviar nossa atenção para pensamentos menos organizados, como seqüências sem pé nem cabeça. Realmente organizar os pensamentos desta maneira é um ato complicado, onde você mostra para seu "mental" que você é quem manda, e que ele não pode ficar pensando qualquer coisa à toa na hora que bem entende. Com um pouco de atenção perceberemos que é desta maneira que pensamos regularmente, no nosso dia a dia. É muito difícil para nós pensarmos apenas aquilo que queremos e da maneira que queremos. Se nos detemos a um momento de nada fazer, como quando guiamos nosso carro até o trabalho, ou quando tomamos banho, ou almoçamos, veremos que imediatamente nos tornamos meros expectadores de uma torrente de imagens, frases e palavras desconexas que dificilmente conseguem resolver um problema ou chegar a uma conclusão final sobre qualquer um dos assuntos que esta torrente abordou. Nossos pensamentos parecem mais uma secretária insana tentando insistentemente nos lembrar o dia todo de coisas que precisamos fazer sem nos dar tempo de efetivamente fazermos qualquer uma delas.
 
Assim, o ato de sentar na rampa e realmente imaginar cada etapa da prova que estamos por participar não é uma coisa tão simples como a princípio possa parecer. Como todo mundo sabe, as coisas mais complexas são as que nos reservam momentos mais especiais e nos trazem um afastamento maior daquelas mais fúteis. Como não poderia deixar de ser, estes momentos dedicados a este singelo ato de concentração nos traz importantes resultados que vão desde o simples ato de manter o parapente aberto, passando por detalhes como respeitar a hora do start gate e até fazer a escolha correta na hora de optar uma rota de vôo. O ato de visualizar seu vôo antecipadamente da uma pré-"mastigada" nos fatos que virão e torna as coisas mais fáceis.
 
Realmente sinto que deveria aplicar isto mais vezes ao meu dia a dia também... se na competição de parapente dá resultado, quem dirá diante da mesa do escritório? Ou fechando um negócio no telefone? Ou resolvendo sabiamente uma discussão com quem você ama?
 
Confirmo esta verdade cada vez que eu me lembro de me concentrar desta forma e observo os resultados. Pena que minha falta de organização às vezes me leva a falhar, pena que minha secretária insana, grita incessantemente aos meus ouvidos e tudo freqüentemente se transforma num turbilhão de pensamentos que sem dúvida alguma só contribuem para atrapalhar um pouco mais o meu dia a dia já conturbado.
 
Voltando ao vôo, esta forma de "pensar", pode contribuir em todos os sentidos, desde o ato mais singelo de decolar para fazer um prego vale a pena tentar. É impressionante a quantidade de detalhes que é possível revisar. Você começa a se lembrar de rotores, obstáculos, imagina colapsos e também todas suas ações. Se alguma dessas coisas acontece, você já "passou por isso" hoje e tudo fica mais fácil, mesmo que seja só um pouquinho. Estabeleça uma rotina de planejar detalhadamente como será seu vôo, desde a inflagem, imaginando todas as coisas que podem acontecer e sua ação correspondente, passando pelo vôo em si, pela aproximação até o pouso e você encontrará muito mais espaço para usar a criatividade e permitir que novos horizontes se descortinem a sua frente. Mais segurança, mais prazer.
 
Finalmente, a segunda parte daquela questão do silêncio que mencionei nas primeiras linhas trata-se de conseguir permanecer mesmo que por alguns segundos, sem pensar em absolutamente nada. Será que você consegue? Não permitir que nenhum tipo de pensamento lhe ocorra? Mergulhar num nada, numa imensidão de silêncio onde nada se pensa, nada se diz, nada se escuta, nada se imagina? Se você conseguir um dia, vai começar a aparecer dentro de você, um espaço para algo que está muito além do seu "mental", algo muito mais fino, mais fluido, que reside em outras partes de seu ser e que tem permanecido imperceptível ou quase durante toda sua vida e que assim possivelmente permanecerá por toda a vida da grande maioria das pessoas que habitam a face da terra e constituem pequenos fragmentos deste ser pensante chamado "Humanidade". A maioria destas pessoas nunca entrará em contato verdadeiro consigo mesmo por estarem ocupadas demais escutando aquela secretária insana que mencionei acima; e você, por sua vez, continuará fazendo seus pregos, (não que seja ruim), mas voando sob mais tensão que deveria e se assustando diante do menor movimento indesejado do seu velame.
 
Falando nisso, você já participou de um curso SIV? Então o que está esperando?

Fonte: Silvio Ambrosini - Sivuca - Data: 08/01/2011
 


  ABP - Associação Brasileira de Parapente - Copyright 2016 © Todos os direitos reservados. Runtime Sistemas