Associe-se
Contato

Textos


Algo sobre térmicas
 
Algo sobre formação de térmicas...vento legal, forte e fraco.
 
Vento "legal" (15 a 25km/h)
 
As fontes geradoras que produzem um "bombeamento" constante, produzem térmicas mais ou menos sem fim, isto e, enquanto a termal sai para as alturas deixando ar frio para trás, este já é rapidamente aquecido pela fonte geradora (a Pedra Preta, por ex.) saindo logo em seguida, acabamos aqui com uma termal "eterna".
 
Ventos fortes
 
Se as ascendentes não são muito fortes, temos aqui, térmicas "cizalhadas", isto é, quebradas devido a força do vento. São ruins de "enroscar" e fáceis de se perder o centro. Quanto mais fortes, mais fáceis, pois o tamanho das termais acaba vencendo o vento. Podemos constatar isto por exemplo em Quixadá - CE. Lá, apesar dos ventos fortes, temos térmicas mais ou menos organizadas devido a sua potência. Já em Andradas, se o vento estiver muito forte, observaremos grande turbulência devido à fragmentação do núcleo termal.
 
Em ventos fracos:
 
Podemos observar uma saturação maior antes da partida resultando em térmicas mais fortes e mais curtas também, assim como grandes bolhas. Principalmente se temos áreas protegidas do vento, temos térmicas violentas e curtas, ou seja, se o piloto perder muito tempo em centralizar, acaba perdendo o ciclo sobrando-lhe a "deliciosa" descendente.

Fonte: Silvio Ambrosini - Sivuca - Data: 08/01/2011
 


  ABP - Associação Brasileira de Parapente - Copyright 2016 © Todos os direitos reservados. Runtime Sistemas